quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Feliz Natal!!

No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (João 1:29).

Não foi um mártir revolucionário ou um habilidoso mestre que desceu do céu. Não foi um profeta para anunciar boas novas e um novo tempo. Cristo não foi um milagreiro, embora tenha feito milagres. Cristo não foi um sábio, embora toda a sabedoria esteja nele e se origine nele.

Hoje, no Natal, celebramos o nascimento do Cordeiro Divino, "Deus de Deus, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado não feito, de uma só substância com o Pai; pelo qual todas as coisas foram feitas; o qual por nós homens e por nossa salvação, desceu dos céus" (Credo Niceno). Este Precioso Cordeiro, não veio à Terra para outra coisa, senão para sentir as dores do inferno sobre a Cruz do Calvário, levando sobre si (e expiando-os) os pecados de seus filhos eleitos.

O menino que nasceu em Belém, morreu em Jerusalém sob a ira de Deus. Para expiar nossos pecados, conceder-nos plena justificação e desviar de nós a ira do Senhor, ele suportou a morte. Certamente este Cordeiro que foi morto (e ressurgiu ao terceiro dia), novamente virá. Virá para buscar seus filhos, mas para condenar àqueles que o rejeitaram.

E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro (Apocalipse 6:16).

Não se deve celebrar o Natal, sem o claro entendimento de quem é Cristo e sem submissão ao seu senhorio, uma vez que este menino que nasceu é aquele que julgará o mundo. Arrependamos-nos, pois, nós pecadores, para que vindo novamente o Senhor, possamos viver eternamente à sua presença e não sermos alvo de sua implacável ira.

Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento (Lucas 3:7-8).

"Oh Jesus Cristo, verdadeiro cordeiro de Deus, tiras o pecado do mundo.
"Oh Jesus Cristo, verdadeiro cordeiro de Deus, tem piedade de nós, Senhor, clamamos.
"Tem piedade nós, Jesus Cristo, e nos conceda a paz".

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A Divina Volição para o mal - João Calvino

Aquele que é supremamente bom usa sabiamente o mal para a condenação daqueles que predestinou justamente para a condenação, e para a salvação daqueles que predestinou para a graça. No que diz respeito aos homens, fizeram o que era contrário à vontade de Deus; porém no que diz respeito à onipotência de Deus, seria impossível que o tivessem realizado sem ela. Sendo assim, até mesmo quando agiam contrários à vontade de Deus estavam, de fato, cumprindo a vontade dele.
(CALVINO, João. A Providência Secreta de Deus, p.63)

sábado, 10 de agosto de 2013

Deus odeia e ama pecadores - David Platt

"Ele diz: 'bem, é um clichê comum de púlpito que Deus odeia o pecado, mas ama o pecador'(...) não nos apressemos em nos apoiar em velhos e confortáveis clichês da nossa cultura que roubam o significado da cruz."

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Paulo e o Livre-arbítrio - Martinho Lutero


Nos caps. 9,10, 11, [Paulo] ensina a eterna predeterminação de Deus. Desse conceito provém originalmente a distinção entre quem há de crer e quem não há, quem se pode livrar de pecados ou não.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

5 razões para abraçar a eleição incondicional - John Piper


Eu uso o termo “abraçar” porque a eleição incondicional não é somente verdadeira, mas também preciosa. É claro que ela não seria preciosa se não fosse verdadeira, logo esta é a grande razão pela qual a abraçamos.

domingo, 26 de maio de 2013

Desperta pelo Brasil - pr. Fernando Brandão

"evangelho não precisa de sábios, o evangelho não precisa de estrategistas, o evangelho não precisa de comunicadores, o evangelho não precisa dos shows humanos, o evangelho precisa de homens e mulheres cheios do Espírito Santo."  
Pr. Fernando Brandão

terça-feira, 21 de maio de 2013

Como assim, “não toqueis no ungido do Senhor…”?! (Voltemos ao evangelho)



Vivemos em um tempo em que apologética tornou-se sinônimo de tradicionalismo antiespiritual, resistência à mudança e até anticarismatismo. Uma das frases mais usadas para combater a apologética bíblica por quem não tem argumentação teológica convincente é: "não toqueis no ungido do Senhor!". Lembro-me de Calvino quando, em suas Institutas, refere-se ao torpe juízo dos papistas romanos para com os reformadores, dizendo:

"Permitem, com pronta facilidade, tanto a si mesmos como aos outros, ignorar, negligenciar, desprezar a verdadeira religião, que foi transmitida pelas Escrituras e que deveria ser mantida constante entre todos. E pensam pouco importar que alguém creia ou deixe de crer acerca de Deus e de Cristo, desde que, pelo que chamam fé implícita, submeta o entendimento ao arbítrio da Igreja. Nem se preocupam muito se ocorre que se conspurque a glória de Deus com vociferantes blasfêmias, contanto que ninguém levante um dedo contra o primado da sé apostólica e a autoridade da Santa Madre Igreja." (João Calvino, Institutas, Livro I, Carta ao Rei, 4. Escritura e Tradição)

Admira-me que, em quase 500 anos, tais palavras continuem precisamente atuais.

Compartilho abaixo o texto do Rev. Augustus Nicodemus sobre o assunto:


sábado, 18 de maio de 2013

Adoração Bíblica - João 4:19-26

Ao tratarmos o assunto “Adoração Bíblica”, de início nos faz necessário desbaratar um comum engano que nos leva a confundir os termos adoração e louvor. Podemos obter esclarecimento quanto aos termos primeiramente aferindo seus significados:

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Carta à Bispa Evônia - Rev. Augustus Nicodemus Lopes (sobre a ordenação de mulheres)



[Nota – é mais uma carta ficticia, gênero que uso como maneira de tornar as minhas idéias mais interessantes para o leitor. Minha esposa não tem (ainda) nenhuma amiga que virou bispa.]

Minha cara Evônia,

Minha esposa me falou do encontro casual que vocês duas tiveram no shopping semana passada. Ela estava muito feliz em rever você e relembrar os tempos do ginásio e da igreja que vocês frequentavam. Aí ela me contou que você foi consagrada pastora e depois bispa desta outra denominação que você tinha começado a frequentar.

sábado, 4 de maio de 2013

A QUEM JESUS PAGOU NOSSO PREÇO? - Pr. Antônio Affonso

Compartilho este excelente texto do Pr. Antônio Affonso.

Link para o original: Aqui

A QUEM JESUS PAGOU NOSSO PREÇO?
Pr. Antônio Affonso


quinta-feira, 18 de abril de 2013

Calvinismo? Por quê?


Alguns de nossos irmãos arminianos, ao conhecerem nossa crença teológica, nos julgam por arrogantes ou orgulhosos. "Mas é claro que você deveria ser um eleito, não é?", dizem eles. Mal sabem que justamente conhecendo o quão vil somos, é que podemos afirmar: não há nada em nós para que tenhamos sido salvos!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Permissões do blog e discussão sobre direitos autorais

Se você é observador, percebeu que no canto inferior direito do blog pode-se ler a seguinte mensagem:

Todo o material autoral deste blog está disponível para reprodução e distribuição em qualquer formato, desde que se informe o autor e o endereço do original, não altere seu conteúdo e não o utilize para fins comerciais.
Licença Creative Commons

Isso significa que todo o material escrito por mim, está disponível para compartilhamento em qualquer formato, desde se informe o autor e o endereço do original, não altere seu conteúdo e não o utilize para fins comerciais.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

O que é uma pregação expositiva e por que um pastor deve pregar desta forma?


Já há algum tempo me pergunto quem concedeu aos pregadores uma espécie de Infalibilidade ex cathedra. Parece-me que muitos que se ocupam do ofício de pregar acreditam que as Sagradas Escrituras são como um saco de retalhos, cuja beleza da Coxa por eles feita, está nas mãos do costureiro. Comportam-se como se a eficácia de um sermão estivesse na retórica do pregador e de que sua infalibilidade estivesse associada ao grau de intelecto do discursista, ou pior, ao seu cargo eclesiástico ou à sua fama junto à comunidade evangélica.

A respeito deste assunto, compartilho o texto abaixo do ministério 9Marks, veiculado pelo site Voltemos Ao Evangelho: "O que é um sermão 'expositivo'?"

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Somos chamados para juntos alcançar aos outros - Filipenses 1:12-30



Este estudo é muito especial pra mim.
A exemplo dos outros, tenho plena convicção de que as palavras nele escritas são fruto da ação do Espírito Santo. No entanto, este estudo é fruto de uma súplica mais fervorosa. Ao sentar-me para prepará-lo, não me sentia preparado para fazê-lo. Orei ao Senhor e ele me respondeu com estas palavras, com este texto da bíblia e com o maravilhoso exemplo do apóstolo Paulo.

As misericórdias do Senhor

"As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim" Lamentações 3:22
 
Bom é saber que o Senhor todo dia restaura o nosso ser para uma obra que é tão grande. Se somos vis pecadores, Ele é poderoso em restaurar e misericordioso para com o seus eleitos.

domingo, 7 de abril de 2013

Somos levados a amar a família de Deus - Romanos 12

Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. (v.3)

Paulo, nos versículos 1 e 2 deste capítulo, discorre a cerca da importante relação do indivíduo consigo mesmo, levado, pelas misericórdias do Senhor, a sacrificar-se. O versículo 3, entretanto, nos mostra que não se deve pensar de si mesmo mais do que o devido, levando a santidade obtida por meio da avaliação individual, para o exercício da comunidade .

A fé que nos tira do porto seguro - Gênesis 11:27-12:9



Neste texto, novas personagens nos são apresentadas: Terá, o patriarca da família; Abrão, filho de Terá; Sarai, esposa de Abrão e Ló, sobrinho de Abrão.

Abrão, o filho, que aqui pela primeira vez aparece como personagem (embora seja citado em uma genealogia versículos antes), tomará fundamental papel na leitura de Gênesis: pai de uma nação.

Viventes de Ur dos Caldeus, esta família habitava um centro rico, populoso e desenvolvido na região sul da Mesopotâmia. Ur era um centro de culto pagão a Nanna, o deus-lua. O nome da cidade, Urim em sumério, significa a morada de Nanna. Ali se encontrava um grande zigurate.

Em Josué 24:2 as escrituras nos dizem que Terá adorava a outros deuses.

Avivamento - Atos 8:26-40


Ao falar de avivamento, as nossas mentes rapidamente são remetidas a uma ideia de moveres enormes ditos do Espírito Santo. No entanto, o verbo avivar, segundo o dicionário Priberam, significa: “Dar vivacidade a, tornar mais vivo, fazer reviver”.